O Ano Novo, a semelhança com outros períodos e as tendências para 2018:

       
         O momento astrológico de 2018 terá entre os seus principais destaques a mudança de signo que Saturno e Urano terão em suas posições.  Saturno, que desde o final de 2014 transitava pelo signo de Sagitário ingressa em Capricórnio já ao final de 2017, por onde permanecerá até final de 2020. Já Urano, que desde 2011 está em Áries, ingressa em Touro a partir de maio, por onde já apontará novas tendências em costumes os quais perceberemos nos próximos 7 anos.
        
          Sobre Saturno, seu retorno a cada área zodiacal acontece em média aproximada de 29 anos. É o planeta associado a estruturas, padrões, costumes de longo prazo e estará nos próximos anos justamente pelo signo o qual ele é regente, ou seja, uma posição onde sua característica ganha mais força para impactar em temas coletivos, sociais e mesmo nas questões individuais de cada pessoa que tenham estes temas.

          Para fazer um paralelo com outros períodos, Saturno esteve em Capricórnio em momentos que antecederam mudanças especiais. No início do século 20, houve o surgimento do partido trabalhista britânico. Foi também o período de reestruturação financeira no mundo com a grande depressão que marcou o início dos anos 30 somado ao crash da bolsa de Nova Iorque. No início dos anos 60, foi construído o muro de Berlin, que dividia a atual Alemanha em ocidental e oriental. Mesma posição de Saturno no período em que ocorreu sua unificação com a queda do muro ao final de 1989. Quando terminava sua passagem neste signo em 1991, marcou também o esfacelamento da União Soviética com a independência das suas repúblicas. A Iugoslávia também iniciava mesmo processo de independência com a Eslovênia, Croácia e que anos depois trariam consequências de mais impacto como os conflitos da Bósnia. Mudanças também marcaram os países socialistas do leste europeu, com fim deste regime posteriormente a sua passagem.

          O Brasil teve com Saturno em Capricórnio a revolução de 1930 e os primeiros anos da Era Vargas em um governo provisório. A dificuldade de sequência ou de se manter uma estrutura de poder também ocorreu na passagem da década de 1950 para a de 1960. Com Saturno em Capricórnio, após a renúncia de Jânio, foi instaurado o Parlamentarismo por alguns anos. Pode-se dizer que também foi uma espécie de governo provisório. Outro que teve início com Saturno em Capricórnio foi o governo Collor, com mudança de antiga moeda e na estrutura econômica. Curiosamente um governo que não teve continuidade após as denúncias de corrupção. A atual capital do país, Brasília, em 1960 e o estado do Tocantins em 1989 também surgiram com Saturno neste signo.
          Falar de reformas, desafios de estruturação ou novas ordens é um contexto marcante com a posição de Saturno em Capricórnio pelo mundo. A característica do planeta no signo o qual ele rege se torna mais forte, o que não significa que tudo sejam flores. Podemos observar que muitas situações marcaram um processo de reestruturação. Como se o dono da casa voltasse, fizesse uma especulação do que está correto e incorreto, derrubasse muros errados ou infiltrações que geram risco de corroer a casa, consolidasse algo já bem definido e mesmo alterasse o andamento do que não está tão sólido ou definido como deveria. 

          Sobre Urano em Touro

           Urano esteve por Touro pela última vez entre 1934 e depois entre 1935 e 1942 nos primeiros anos da segunda guerra mundial. O extremismo de poder marcou este período, além de transformação nos valores e no próprio sistema financeiro em todo mundo.
         Primeiras experiências com telefone por Antônio Meucci através de pequenos choques em um tratamento médico onde ouvia a voz e a respiração das pessoas à distância quando tratava pessoas com reumatismo por volta de 1855.
          Já nesta nova passagem a partir de 2018, perceberemos de forma mais usual as tecnologias em vários negócios e até mesmo uma necessidade de adaptação mais intensa a elas por parte das pessoas. As inovações para pagamentos, as moedas digitais (como os bitcoins) e mesmo algumas inovações bancárias passam a fazer parte de maneira mais usual. Quando Urano muda de signo, o que antes tinha uma projeção inovadora passa a ser mais costumeira. Basta ver que em Áries, as pessoas passaram a utilizar a internet, as tecnologias e os celulares de forma mais individualizada ou como um assessório essencial para locomoção e maior individualismo. Houve uma revolução na utilização de transportes, como os serviços de carro (Uber, Cabify e táxis por aplicativo). Com a posição de Urano em Touro, um impacto semelhante marcará a maneira de se conduzir negócios. Os bancos digitais serão mais usuais do que os existentes, fazendo frente as burocracias de conta corrente, além de procedimentos biométricos ou de toque - uma referência também ao signo de Touro -  no procedimento de compras ou negócios. Também marca revoluções na moda, no padrão da estética, de beleza, no que envolve preconceito diante destes temas, assim como na alimentação. Novas formas de mercado alimentício ou alternativas em temas que os envolvam serão mais evidentes nos próximos anos, já com sinais em grande parte de 2018.

          Júpiter em Escorpião: Desde outubro de 2017 temos Júpiter em Escorpião, trânsito que permanecerá até novembro de 2018, o que faz do novo ano propenso a ter mais impacto nas questões relacionadas a tabus e preconceitos. Debates relacionados a estes temas serão mais frequentes, assim como leis mais efetivas que envolvam tais questões. Em sua última passagem durante o ano de 2006, foi estabelecida no Brasil a Lei Maria da Penha.

           Em 1982 a homossexualidade deixa de ser crime em Portugal. No mesmo ano, aqui no Brasil, coincidiu com as primeiras eleições diretas desde os anos 60, (para governadores de estados). Em 1994 houve o surgimento do plano Real e a transição econômica que envolvia o país em 1994. Para 2018 há tendências para mais impacto do Judiciário no direcionamento das eleições. Propensões a denúncias, descobertas, investigações e mais situações à tona com figuras de poder que ascendem mas caem, também sendo impactadas pelo judiciário. 
             
        Esta é a posição de Júpiter a qual o Brasil teve períodos bem-sucedidos em esportes coletivos e copas do mundo por ser a área do estrangeiro no mapa astral da independência, além de ser o signo onde o Brasil tem Marte, o que favorece êxito em disputas e competições. Ocorreu próximo a copa em 1970 e durante a de 1994, quando venceu a copa. Também em 1982, quando mesmo sem vencer, encantou com o time de Telê Santana.